Dados de acesso incorretos.

SOBRE

HISTÓRIA

  Apresentado pela professora Maria de Lourdes M. Silveira, em 1991 e atualizado por Roseli Garcia de Aguero, em 2007.

            Há muito vinha Ema Rohmann Trotta pensando em criar uma escola adventista em Porto Alegre, que mantivesse os cursos primário e ginasial. Era um sonho... algo muito vago, pois na época a nossa organização só mantinha o IACS (Instituto Adventista Cruzeiro do Sul) com estes cursos. A escola da Igreja Central de Porto Alegre estava na iminência de fechar e a irmã Ema, sabedora disto, lança-se à luta para alcançar os objetivos que tinha em vista. 
            No ano de 1963 ela fora nomeada Diretora das Dorcas do grupo Adventista do bairro Camaquã e tão logo assumiu, tratou de convocar uma reunião para tratar de vários assuntos incluindo o da criação de uma escola. Nessa reunião participaram as irmãs Almerinda dos Santos, Antonieta Borba, Ema RohmannTrotta e um representante da Associação Sul Rio-grandense.
            Decisões tomadas: a escola iria funcionar na mesma sala onde se realizavam os cultos e já no dia 5 de março de 1963 a escola deveria começar suas atividades, sendo sua primeira diretora e professora a Sra. Laura Schuster, que trabalhou cerca de dois anos recebendo um salário de 18 cruzeiros mensais.
            No primeiro ano, as matrículas atingiram 28 alunos e no ano seguinte passaram a 40 alunos. A escola começava com sérios problemas e dívidas pois muitos alunos não tinham condições de pagar a anuidade, houve a compra de carteiras e algum material escolar.
            Com auxílio de seu esposo, o irmão J. M. Trotta, a irmã Ema resolveu recorrer aos órgãos públicos, onde após várias reuniões com o representante do Governador conseguiram o auxílio de oito bolsas de estudos no valor de oito anuidades. Houve também uma festa de Dorcas, onde os irmãos foram convidados a participar com doação de doces e salgados, os quais foram vendidos e o lucro revertido em benefício da escola.
            Assim, foi D. Ema quem contratou a primeira professora, escolheu o nome da Escola e tratou de registrá-la junto à Secretaria de Educação e Cultura.
            Nos primeiros dois anos, a escola manteve caráter estritamente particular. A partir de 1965 a Associação Sul Rio-grandense da Igreja Adventista do 7º dia assumiu a posição de mantenedora. Até 1972 a escola manteve o curso primário e a partir de 1973 começou a implantação da Reforma e das demais séries que completaram o ensino de 1º Grau. Hoje está plenamente reconhecida sob a portaria nº 25.492 e fiscalizada pela SE (Secretaria de Educação).
           Passou a ser designado Colégio Adventista de Porto Alegre- Escola de 1º e 2º graus na implantação do Ensino Médio amparado no parecer 82/93 de 19/01/93, processo SE 53415/92-9, CEE 992/92 e em 2000, passou a ser designado Colégio Adventista de Porto Alegre.
           Atualmente o Colégio possui turmas da Educação Infantil ao Ensino Médio somando um total de 1471 alunos atendidos.
           A história da escola foi principiada de muitos sacrifícios, todos eles partilhados por um sentimento humano e cristão. Dias marcados pela problemática crescente da manutenção, do aumento físico do prédio, da disciplina e do progresso de uma escola cada dia maior que se faz conhecida no bairro e no Estado.
           Permeando estes 44 anos de vida escolar, exatamente 15 diretores administraram o trabalho educacional: Laura Schuster, Sueli Júlio Vieira, Ivone Kanada de Souza, Ione Dorneles, Jandira da Silva Lopes, Ilma Barbosa de Souza, Cézar Gonzales, Rui Rodrigues Barbosa, Earle Pazinato Linhares, Isaac Rosa dos Santos , José Pinto Garcia, Nelson Purificação, Elizeu Prates dos Reis, João Cesi dos Santos, Anderson da Silva Voos, Robledo Moraes, Elisângela Nunes ,Isaac Rosa dos Santos, Irineu Souza e atualmente por Alfredo Ferreira. Estes diretores deram uma porção de sua vida para que não sofresse interrupção à obra meritória de fazer brilhar a luz do saber e cujo objetivo é expandir seus raios por muitos caminhos da região de Porto Alegre e do Rio Grande do Sul.
           Evidentemente que estes mestres não trabalharam sozinhos e sim com a bênção de Deus e a ajuda de vários diretores de Educação, administradores da mantenedora, professores, servidores, membros da igreja e da comunidade.
           Àqueles que já desceram à sepultura: pastor Osmar Lopes, pastor Deícola Silveira, professoras Ivone Kanada de Souza, Sueli Júlio Vieira e os irmãos J. Trotta e Antonieta Borba, àqueles que ainda prosseguem militando nas fileiras do Mestre, rendemos um acalentado preito de gratidão transmitindo nele toda a evidência de nosso agradecimento.
          “Restaurar no homem a imagem do seu Autor, trazê-lo de novo à perfeição em que fora criado, promover o desenvolvimento do corpo, espírito e alma para que se possa realizar o propósito divino da sua criação – tal deveria ser a obra da redenção. Este é o objetivo da educação – o grande objetivo da vida. ” Ed., 16.
           Que o Colégio Adventista de Porto Alegre continue lutando por alcançar os objetivos expostos no parágrafo anterior e que continue sendo um lugar no qual se pratique o culto à dignidade humana.
           Que nesta escola Deus possa ocupar sempre o primeiro lugar e suas bênçãos continuem sendo sentidas para um futuro promissor, para frente e para cima.   




 

HISTÓRICO DE ABERTURA



Escola de 1º Grau Adventista Cruzeiro do Sul            Camaquã – Porto Alegre/RS
Portaria de Reconhecimento nº 25492/72  15/9/72   -          D. O. 22/09/72
Parecer nº 259/72
Regimento Aprovado: Portaria n° 24126/80              
Parecer 161/80
Regimento Outorgado 27/02/89
Classes de Jardim Aprovada Portaria nº 24526/80    Resolução 136/80
Ano de fundação 1963
Pastor da época: Leonid Bogdanow

LINKS

ACESSO RÁPIDO

CONTATO

CONEXÕES